Carbono Galeria

Edições contemporâneas

Dublê de corpo

Dublê de Corpo

São Paulo, 23.09 ~ 17.11.2016 


Desvinculadas do nu artístico, gênero da tradição clássica, as obras desta exposição apontam para os vários sentidos que a representação do corpo pode adquirir na arte contemporânea.  Esse corpo, hoje, aciona cruzamentos entre diversos sistemas simbólicos e não está mais associado às condenações e tabus da história primitiva e das religiões monoteístas. Trata-se de um corpo já liberto dos interditos e da culpa judaico-cristã, que imperou no Ocidente até a modernidade. A partir daí, temos um novo corpo, que tanto pode indiciar erotismo e fetiche, quanto revelar a ideia trágica do “corpo despedaçado”, considerado por Marx o eixo nodal da cultura moderna.

Não mais submetido à relação de domínio da razão, como na visão mecanicista cartesiana, e deixando de ser considerado um ser inferior, o corpo assume, porém, nos primórdios modernos e em plena era industrial, a conotação de força de trabalho e entidade produtiva. Apenas na contemporaneidade, o corpo se libera finalmente das normas morais ou sociais, dos imperativos da beleza e do poder disciplinar do trabalho, para se reabilitar como expressão existencial e política.

Centrada na profanação da imagem do corpo idealizado ou estigmatizado, a poética contemporânea afirma sua reconstrução como corpo ativo, performático e sensorial,  assim como sujeito a representações fantasmáticas e mentais. Uma corporeidade que passa a ser concebida como matéria de ações de ruptura e códigos libertadores, longe do pensamento que a ligava aos ideais do classicismo ou à anatomia realista.

Ligia Canongia      
Curadora

 

Artistas participantes:
Adriana Barreto 

Adriana Varejão 
Brígida Baltar 
Bruce Nauman  
Carlos Mélo 
Cao Guimarães 
Celina Portella 
Ernesto Neto 
Gustavo Rezende 
Ivan Grilo 
Jaques Faing 
Lenora de Barros 
Nazareth Pacheco 
Renan Marcondes 
Tracey Emin 
Waltercio Caldas

 

Assista aqui o video produzido pela Select sobre a exposição: