Carbono Galeria - Até Que Nos Deixem Sair - Nazareno

Carbono Galeria

Edições contemporâneas

< <

Nazareno

São Paulo, 1967 | Vive e trabalha em São Paulo, Brasil.

Nazareno é bacharel em artes visuais pela Universidade de Brasília. Além de seu trabalho como artista, atuou como professor, curador, coordenador de espaços culturais e consultor em edições de artes plásticas. Trabalha com... veja mais

Até Que Nos Deixem Sair
Escultura
Técnica
Porcelana, seda, vidro, madeira, tecido
Dimensões

( A x L x P)  7 x 49 x 35 cm
Data
2014
Edição
15

Em "Até que nos deixem sair", Nazareno engarrafa um pequeno barco e o fixa em um mar de fios de seda. O limite do mar se dá por uma bandeja de porcelana branca que contrasta com o azul do emaranhado das linhas. “Aqui discuto o cerceamento imposto pelas noções de infinito e limites que remetem às tradicionais fronteiras naturais que eram as águas do oceano. Neste trabalho, coloco ainda a possibilidade de interação do espectador com o mesmo, pois o mar de seda que proponho se alinha de acordo com o desejo do público”, comenta Nazareno. Esta edição exclusiva da Carbono Galeria vem acompanhada de certificado de autenticidade assinado pelo artista.

Mais obras deste artista
  1. E Se Provou a Liberdade Uma Vez, Nada Mais o Deterá
  2. Em Guarda
  3. Esperando
  4. Ilusões
  5. Manual da Floresta
  6. Numa Terra Selvagem
  7. O Jogo dos Erros
  8. Os Instrumentos De Uma Carta De Amor
  9. Somos Assim, O Que Podemos Fazer?
  10. Tal Qual Os Fanáticos Que Pensam Ter Deus Do Seu Lado
Biografia

São Paulo, 1967 | Vive e trabalha em São Paulo, Brasil.

Nazareno é bacharel em artes visuais pela Universidade de Brasília. Além de seu trabalho como artista, atuou como professor, curador, coordenador de espaços culturais e consultor em edições de artes plásticas. Trabalha com diferentes mídias, como desenho, gravura, escultura, instalação e vídeo. Já realizou diversas exposições, das quais se destacam as realizadas no MAM - Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e de São Paulo, o Museu de Arte de Brasília, o  Instituto Itaú Cultural, a Funarte, o Instituto Tomie Ohtake, entre outros. Participou de salões nacionais, projetos de mapeamento como o "Rumos Visuais Itaú" e residências artísticas. Nos anos de 2011, 2008 e 2006 foi indicado ao prêmio Marco Antônio Vilaça-SESI, em 2010 foi um dos artistas convidados do 29º Arte Pará. Em 2013, lançou o livro “Num Lugar Não Longe de Você” e em 2004, publicou o livro “São as Coisas Que Você Não Vê Que Nos Separam”. Suas obras fazem parte de importantes coleções públicas e privadas.

O processo de produção do artista parte de uma pesquisa do cotidiano. Fatos corriqueiros e aparentemente banais podem se mostrar potentes a Nazareno e serem transformados em situações lúdicas, principalmente se relacionados à verbalidade e se forem ativadores de memórias.

Suas obras articulam muitas vezes imagens e textos. O uso da palavra é constante e muito importante para Nazareno, a oralidade sempre foi presente em seu crescimento, criando, assim, não somente um vasto repertório, mas uma necessidade de se expressar também com as palavras. O artista afirma não criar poemas ou textos, ele os chama de “acidentes literários”. Mesmo quando a palavra não está inscrita no objeto artístico, ela se faz presente no título. Nazareno sempre titula seus trabalhos e os vê como uma forma de criar outras visões, conduzindo o espectador a diferentes caminhos interpretativos. 

Outro aspecto que deve ser destacado em sua produção é a escala escolhida pra  suas esculturas e objetos. O artista cria pequenas obras, como miniaturas de objetos. Estes tratam de coisas inseridas no dia a dia comum a todos, como a cama, a cadeira, o barco, a garrafa, o prato, o piano, entre outros, sendo, dessa forma, facilmente reconhecidos. Com essa miniaturização, o artista propõe que o adulto, seu público principal,  seja rebaixado à condição infantil, que ele seja surpreendido e veja aqueles objetos de um ponto de vista diferente.

No entanto, sua poética não fala somente de alegrias. São obras que envolvem e geram muitos sentimentos, tratam na maioria das vezes de relações humanas e assim podem ser também relacionados a decepções.

Em seu trabalho, nada está ali por acaso. O desenho, a forma, a cor, o texto, o título, tudo é preciso e em tudo estão contidas faíscas de leitura e reflexão para o espectador.

Galerias Representantes
Destaques da Carreira

Ali Onde Não Se Está (2012), obra que faz parte do acervo do Museu de Arte Contemporânea da USP.

Detalhe da obra Em Guarda, 2013, madeira,130 cm de diâmetro. 

Eu sempre Soube, 2010escultura, madeira, 10 m².

Imagem da obra Não Chore as Pessoas Estão Olhando, de 2012.

Detalhe da obra One in Every Family, 2008, escultura de madeira, 70  x 64 cm.

   
  1. Todas as categorias
       
    1. Todas as categorias
    2. Carbono Voucher
    3. Desenho
    4. Escultura
    5. Fotografia
    6. Gravura
    7. Instalação
    8. Joia
    9. Objeto
    10. Pintura
    11. Relevo de parede
    12. Serigrafia
    13. Vídeo
  2. Artistas A-Z
       
    1. Menor valor
    2. Maior valor
    3. Obras A-Z
    4. Obras Z-A
    5. Artistas A-Z
    6. Artistas Z-A
    7. Maior tamanho
    8. Menor tamanho
  3. Acervo completo
       
    1. Acervo completo
    2. A palavra palavra
    3. A Pegada Pop
    4. Américas Amigas
    5. Art Rio 2014
    6. ArtRio 2015
    7. Cinéticos e Construtivos
    8. Curadoria Agnaldo Farias
    9. Curadoria Maria Montero
    10. Curadoria Paulo Miyada
    11. Curadoria Paulo Venancio Filho
    12. Dia de doar
    13. Dia dos namorados
    14. Dublê de corpo
    15. Instituto Reciclar
    16. Lançamentos
    17. Lembre-se de lembrar
    18. Lista Casamento Caroline Cordeiro e Fernando Rocha
    19. Lista de Casamento Fabiana e Cristian
    20. Lista de casamento Gabriella e Thiago
    21. Múltipla de Múltiplos
    22. Myxathesys
    23. Nazareno
    24. O importante, minha filha, é nunca tirar a mão do barro
    25. O tempo e os tempos
    26. Releituras da natureza-morta
    27. Sp Arte 2014
    28. Sp Arte 2017
    29. SP Arte Foto 2015
    30. Tão diferentes, tão atraentes
    31. Universo
    32. Variações
  4. Visualizar
       
 
  1. Sem título

    Angelo Venosa

    Escultura

    Técnica acrílico

    ( A x L x P)  26 x 33 x 25 cm
    Data 2013
    Edição 30

  2. Sem título

    Artur Lescher

    Escultura

    Técnica porcelana e couro

    ( A x L x P)  60 x 6 x 25 cm
    Data 2013
    Edição 30

  3. Sem título

    Carlos Vergara

    Fotografia

    Técnica impressão sobre placas de poliestireno recortadas e montadas

    ( A x L)  63 x 65 cm
    Data 2013
    Edição 10

  4. Sem título

    Iole de Freitas

    Escultura

    Técnica aço inox e policarbonato

    ( A x L x P)  70 x 35 x 20 cm
    Data 2013
    Edição 10