Carbono Galeria - Céu reverso 1 - Manoel Veiga

Carbono Galeria

Edições contemporâneas

< <

Manoel Veiga

Recife, 1966 | Vive e trabalha em São Paulo.

O artista começou a trabalhar com artes visuais na década de 90 e em 1997, estuda na Escola Nacional Superior de Belas Artes do Louvre, em Paris. Além disso, esteve próximo do artista Gil Vicente... veja mais

Céu reverso 1
Fotografia
Técnica
Fotografia
Dimensões

( A x L)  90 x 120 cm
Data
2014
Edição
15

Este é o primeiro trabalho de sua nova série "Céu reverso". Nela, o artista trabalha com vistas aéreas noturnas de cidades. No entanto, ali não está contida a imagem de uma região metropolitana, mas sim uma construção de luzes e estruturas urbanas diversas.

A edição acompanha certificado numerado e assinado pelo artista.

Biografia

Recife, 1966 | Vive e trabalha em São Paulo.

O artista começou a trabalhar com artes visuais na década de 90 e em 1997, estuda na Escola Nacional Superior de Belas Artes do Louvre, em Paris. Além disso, esteve próximo do artista Gil Vicente durante seus anos de formação. Seu trabalho passa pela pintura, instalação, intervenções urbanas e fotografia. Participou de exposições em diversos países como na Dengler und Dengler, em Stuttgart e na galeria D’Est e D’ouest em Paris. Dentre as coleções públicas das quais faz parte, destacam-se a Fundação Joaquim Nabuco, o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), SESC Pernambuco, todas em Recife; e os Museus de Arte Contemporânea (MAC) de Goiânia, Sorocaba e do Paraná.

A partir do contato com Gil Vicente, Manoel Veiga começa a elaborar seus interesses como artista, trabalhando principalmente com desenhos e pinturas. No fim da década de 90, quando começa a estudar com Rodrigo Naves, foca-se principalmente em pinturas abstratas. Telas fluidas, criadas a partir de pigmentos aplicados à tela em posição horizontal e sem pincel, dando margem à ação do acaso. Em sua prática mais recente Veiga passa a utilizar novos suportes como a fotografia e o vídeo.

Manoel Veiga acredita que o mais importante não está na técnica utilizada pelo artista, mas na possibilidade de criação de sentido. “Não importa se a manifestação visual se dá em forma de pintura, escultura, instalação ou performance. É assim que percebo de onde surge a necessidade de coerência em arte, aqui entendida como uma busca do artista por uma clareza de intenção que possibilita um aprofundamento de questões do seu interesse e que se materializa em obras com grande capacidade de geração de sentido, de discursos.”

Galerias Representantes
Destaques da Carreira

Exposição realizada na galeria Nara Roesler, em São Paulo (2010).

Exposição realizada na galeria Nara Roesler, em São Paulo (2010).

Exposição realizada na galeria Dengler Und Dengler, em Stuttgart (2010).

   
  1. Todas as categorias
       
    1. Todas as categorias
    2. Carbono Voucher
    3. Desenho
    4. Escultura
    5. Fotografia
    6. Gravura
    7. Instalação
    8. Joia
    9. Objeto
    10. Pintura
    11. Relevo de parede
    12. Serigrafia
    13. Vídeo
  2. Artistas A-Z
       
    1. Menor valor
    2. Maior valor
    3. Obras A-Z
    4. Obras Z-A
    5. Artistas A-Z
    6. Artistas Z-A
    7. Maior tamanho
    8. Menor tamanho
  3. Acervo completo
       
    1. Acervo completo
    2. A palavra palavra
    3. A Pegada Pop
    4. Américas Amigas
    5. Art Rio 2014
    6. ArtRio 2015
    7. Cinéticos e Construtivos
    8. Curadoria Agnaldo Farias
    9. Curadoria Daniel Rangel
    10. Curadoria Ligia Canongia
    11. Curadoria Maria Montero
    12. Curadoria Paulo Miyada
    13. Curadoria Paulo Venancio Filho
    14. Dia de doar
    15. Dia dos namorados
    16. Dublê de corpo
    17. Elogios da cor
    18. Instituto Reciclar
    19. Lançamentos
    20. Lembre-se de lembrar
    21. Lista de Casamento Ana Luiza e Luiz Fernando
    22. Lista de Casamento Julia e Renato
    23. Múltipla de Múltiplos
    24. Múltiplos Pivô
    25. Myxathesys
    26. Nazareno
    27. O importante, minha filha, é nunca tirar a mão do barro
    28. O tempo e os tempos
    29. PALAVRA-COISA
    30. Releituras da natureza-morta
    31. Sp Arte 2014
    32. Sp Arte 2017
    33. SP Arte Foto 2015
    34. Tão diferentes, tão atraentes
    35. Universo
    36. Variações
  4. Visualizar
       
 
  1. Sem título

    Angelo Venosa

    Escultura

    Técnica acrílico

    ( A x L x P)  26 x 33 x 25 cm
    Data 2013
    Edição 30

  2. Sem título

    Artur Lescher

    Escultura

    Técnica porcelana e couro

    ( A x L x P)  60 x 6 x 25 cm
    Data 2013
    Edição 30

  3. Sem título

    Carlos Vergara

    Fotografia

    Técnica impressão sobre placas de poliestireno recortadas e montadas

    ( A x L)  63 x 65 cm
    Data 2013
    Edição 10

  4. Sem título

    Iole de Freitas

    Escultura

    Técnica aço inox e policarbonato

    ( A x L x P)  70 x 35 x 20 cm
    Data 2013
    Edição 10