Carbono Galeria - noc noc - Carlito Carvalhosa

Carbono Galeria

Edições contemporâneas

< <

Carlito Carvalhosa

São Paulo, 1961 | Vive e trabalha no Rio de Janeiro, Brasil.  

Carlito Carvalhosa, com instalações, esculturas e pinturas, proporciona maneiras inusitadas de transitar pelos espaços da arte contemporânea. Contaram com suas obras as 2ª e 11ª edições da Bienal de Havana, a 18ª Bienal... veja mais

noc noc
Escultura
Técnica
resina e pó de mármore
Dimensões

( A x L x P)  20 x 23 x 46 cm
( A x L x P)  17 x 20 x 33 cm
Data
2015
Edição
10 + 2PAs

Antigos postes de madeira são elementos bastante explorados pelo artista em sua produção mais recente, como nas instalações Sala de espera (2013) e Possibility Matters (2014). Nelas, eles fazem referência a uma natureza explorada, dominada, que é transformada pelo homem para levar luz e abrigo, mas que ao perder sua função mantém o interesse por sua verticalidade, textura, cor, cheiro.

Se nas obras pontuadas acima os troncos ganham o espaço interior e se mostram por inteiro, desafiando ainda as relações de peso e medida, aqui, os elementos se distanciam desta ideia: eles tocam a parede, cruzam-na, se mostram em partes, e são leves, pontuais. O que há para além destes tocos? Que caminhos seguem?

Além disso, as duas peças que compõem a obra fazem alusão à madeira por sua forma e textura de superfície, porém, elas são realizadas com resina e pó de mármore. Um jogo de materiais, de natural e artificial, que potencializa ainda mais os possíveis caminhos a serem tomados pela imaginação do espectador.

Uma natureza morta poética e potencialmente criadora.

O artista escreve sobre o trabalho: “lembro-me de viajar de carro ao longo das florestas de eucalipto, o batimento das linhas de árvore e dos vazios. Vendo somente o claro das ruas e o escuro dos troncos pensava num filme vazio: aquele momento no começo do rolo em que o filme ainda não havia começado. Filme só filme. A floresta estava e não estava lá.

Frutos, flores e verduras em um vaso, em uma mesa. Já estiveram na natureza, estão ali arranjados, ponte entre a estranha natureza e a comida. Alguém os colocou lá (mas não vemos quem). Dois batimentos: a matéria deve existir ali, mas está suspensa. Vai ser comida, vai estragar.  

Floresta, tronco, árvore, poste, toco. Um toco de madeira - aspargo gigante - surge da parede, mas não há madeira ali.  

O que resta é o que guardou a madeira. Fantasma. Natureza morta.” 

Este trabalho é numerado, assinado e vem acompanhado de certificado de autenticidade.

 

 

 

 

Mais obras deste artista
  1. Sem título
Biografia

São Paulo, 1961 | Vive e trabalha no Rio de Janeiro, Brasil.  

Carlito Carvalhosa, com instalações, esculturas e pinturas, proporciona maneiras inusitadas de transitar pelos espaços da arte contemporânea. Contaram com suas obras as 2ª e 11ª edições da Bienal de Havana, a 18ª Bienal de São Paulo, as 3ª e 7ª edições da Bienal do Mercosul. Seus trabalhos estão presentes nas coleções do MAM – Museu de Arte Moderna e MAC – Museu de Arte Contemporânea, e na Pinacoteca do Estado, todos em São Paulo; no MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e da Bahia; no Museu de Arte Contemporânea de Niterói; no Itamaraty; na coleção da Funarte; além de coleções particulares em todo o mundo. Realizou importantes mostras individuais no MAM do Rio de Janeiro, em 2006; no MAM de São Paulo e no MAM da Bahia, em 2008; no Palácio da Aclamação, em 2010; na Pinacoteca do Estado de São Paulo, em 2010; no MAC , em São Paulo, em 2013; e no Museum of Modern Art – MoMA, de Nova York, em 2011.

A participação no Grupo Casa 7 marca o início da carreira do artista. Na ocasião, Carvalhosa trabalhava principalmente com a pintura. Suas pinturas daquele período eram feitas com cera, pigmentos e tinta óleo, sempre em grandes formatos. A partir dos anos 1990, o artista volta-se para a produção de trabalhos tridimensionais em gesso, porcelana e cera, além da pintura. Carvalhosa também produz instalações, que se tornaram mais presentes na obra a partir dos anos 2000. Em Regra de dois, ocupa a casa Eva Klabin, no Rio de Janeiro, com móveis suspensos por copos e luzes fluorescentes; já em A soma dos dias, apresentada na Pinacoteca de São Paulo, cria uma instalação composta de tecido, alumínio, lâmpadas e um programa de performances que contou com duas participações de Philip Glass, entre outros músicos; no Palácio da Aclamação, na Bahia, suspende uma árvore no vão principal e ocupa todo o edifício com a obra intitulada Roteiro. No espaço SOSO+, ocupa um salão comercial no centro de São Paulo com lâmpadas fluorescentes; na Casa de Cultura Laura Alvim, cria uma instalação onde convivem pinturas sobre espelho, tecido, pontaletes de madeira e trabalhos em alumínio, formando uma reflexão sobre a paisagem e a memória.

Em 2011, Carlito ocupou o segundo andar do MoMa em Nova York com a instalação sonora Sum of Days, onde o espectador percorre um labirinto branco ao som de vários microfones presos ao teto. Cada dia um microfone "recita" um poema novo, deixando o poema do dia anterior baixo, como se fosse um sussurro. Esta imerssão num túnel arquitetonico regado a vozes nos remete a imaterialidade da passagem do tempo.

De acordo com Marta Mestre, o que interessa ao artista é “a relação entre o espaço e o ato de construir. Mobilizada pelo artista, a construção é um processo de reordenação do mundo que temos pela frente, é sustentação do caos e, portanto, atividade de diferenciação em face da natureza”. E acrescenta que “percorre seu trabalho um pensamento da escultura como construção, gesto de adição e de subtração ao vazio”.

Galerias Representantes
Destaques da Carreira

Instalação Sum of days, Museum of Modern Art - MoMA, NY. A segunda mais visitada exposição de NY em 2011.

Em Regra de dois, o artista usou 204 lâmpadas fluorescentes e 300 copos de vidro, entre outros materiais, interferindo nos espaços da Casa Eva Klabin, RJ.

Sala de espera: megainstalação no MAC-USP com mais de 70 postes de madeira ocupando 2000m2 . A obra inaugurou o novo espaço do museu em março de 2013.

Vista da instalação Já estava assim quando eu cheguei, 2006, no MAM - Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

   
Bibliografia
Titulo Nice to meet you
Autor Carlito Carvalhosa
Editora Cosac Naify
Páginas 280
Titulo Carlito Carvalhosa
Autor Rodrigo Naves
Editora Cosac Naify
Páginas 176
  1. Todas as categorias
       
    1. Todas as categorias
    2. Desenho
    3. Escultura
    4. Fotografia
    5. Gravura
    6. Instalação
    7. Joia
    8. Objeto
    9. Pintura
    10. Relevo de parede
    11. Serigrafia
    12. Vídeo
  2. Artistas A-Z
       
    1. Menor valor
    2. Maior valor
    3. Obras A-Z
    4. Obras Z-A
    5. Artistas A-Z
    6. Artistas Z-A
    7. Maior tamanho
    8. Menor tamanho
  3. Acervo completo
       
    1. Acervo completo
    2. A palavra palavra
    3. A Pegada Pop
    4. Art Rio 2014
    5. ArtRio 2015
    6. Camila Castanho e Gabriel Dib
    7. Cinéticos e Construtivos
    8. Curadoria Agnaldo Farias
    9. Curadoria Paulo Venancio Filho
    10. Dia de doar
    11. Dia dos namorados
    12. Dublê de corpo
    13. Fabiana e Cristian
    14. Instituto Reciclar
    15. Lançamentos
    16. Laura Buchamar e Paulo Rogério
    17. Lembre-se de lembrar
    18. Múltipla de Múltiplos
    19. Myxathesys
    20. Nazareno
    21. O tempo e os tempos
    22. Releituras da natureza-morta
    23. Sp Arte 2014
    24. Sp Arte 2017
    25. SP Arte Foto 2015
    26. Universo
    27. Variações
  4. Visualizar
       
 
  1. Sem título

    Angelo Venosa

    Escultura

    Técnica acrílico

    ( A x L x P)  26 x 33 x 25 cm
    Data 2013
    Edição 30

  2. Sem título

    Artur Lescher

    Escultura

    Técnica porcelana e couro

    ( A x L x P)  60 x 6 x 25 cm
    Data 2013
    Edição 30

  3. Sem título

    Carlos Vergara

    Fotografia

    Técnica impressão sobre placas de poliestireno recortadas e montadas

    ( A x L)  63 x 65 cm
    Data 2013
    Edição 10

  4. Sem título

    Iole de Freitas

    Escultura

    Técnica aço inox e policarbonato

    ( A x L x P)  70 x 35 x 20 cm
    Data 2013
    Edição 10